Category Archives: Almada

Cais do Ginjal

Anúncios

Deixe um comentário

Filed under Almada, Lisboa, Paisagens

Farol de Cacilhas

Abertura f/11
Tempo de exposição: 25 segundos
ISO: 100

2 comentários

Filed under Almada, Paisagens

Passeio ao fim do dia

Não sei como aguentei tanto tempo, mas a verdade é que desde Abril que não dava uma volta, para tirar umas fotografias. Por isso este fim de semana decidi agarrar na máquina e aproveitar o pôr do sol, nesta paisagem que tenho quase ao lado de casa.

Cais do Ginjal, Almada.

4 comentários

Filed under Almada

Qualidade da Luz em Fotografia

De um ponto de vista puramente técnico a fotografia não é mais que a captura da luz pelo sensor da máquina.

Um dos aspectos fundamentais, e mais simples de controlar, para obter boa luz natural, é a hora do dia a que a fotografia é tirada. No caso concreto de paisagens, a luz é a ideal no período que se estende entre a meia hora anterior e meia hora seguinte ao este.ao nascer ou pôr do Sol.

Esta luz, por ser muito baixa, é mais atractiva, realçando as cores e texturas. Pelo contrário, a luz forte do meio dia tira muito do dramatismo a qualquer paisagem, por mais impressionante que seja.

Claro que custa mais esperar pela luz certa, mas é esse o preço a pagar por uma fotografia melhor!

Como exemplo deixo aqui três fotos do mesmo local, uma tirada às 15:00, as outras por volta das 8:00.

Nota-se bem a diferença, não nota?

1 Comentário

Filed under Almada, Conceitos, Paisagens

Exposição

Exposição: 6 segundos a f/8, ISO 100

A exposição é o conceito fundamental da fotografia. Afinal, de um ponto de vista puramente técnico, esta não é mais que a captura de luz pela máquina fotográfica.

No entanto é um conceito que não será muito intuitivo, especialmente para quem utiliza máquinas digitais compactas (não dSLRs).

A exposição é o conjunto da abertura da lente, o tempo de obturação. Também o ISO influência a exposição, mas isso será assunto para outro post.

Tempo de obturação

Muitas vezes confunde-se o tempo de obturação com a exposição em si, mas este é apenas um dos seus componentes. É o período em que o obturador está aberto quando se tira uma fotografia, regulando o tempo que o sensor receberá luz. Pode também ser chamado de velocidade do obturador (shutter speed em inglês).

O tempo é medido em segundos (1 seg, 1/200 s…).

Abertura

Permite controlar a quantidade da luz que o sensor recebe. A abertura é medida em “números f”, dependendo este valor das capacidades da lente.

Também a abertura pode gerar alguma confusão inicialmente, uma vez que esta é esta é inversamente proporcional ao valor f que se define na máquina. Quanto maior o f, menor a abertura.

Ou seja, f1.8 é uma grande abertura, permitindo a entrada de bastante luz na lente, sendo ideal para situação com pouca luz, como quando se fotografa em espaços fechados. Já f22 deixa entrar muito pouca luz na lente, o que é ideal para situação de luz intensa.

Modos de Exposição

Numa máquina que permita controlo manual da exposição, existem três modos que possibilitam controlar a exposição:

Prioridade à abertura (A), em que o fotógrafo escolhe a abertura e máquina determina o tempo de obturação apropriado.

Prioridade ao tempo de exposição (S), em que se escolhe a velocidade do obturados, e a máquina determina a abertura correcta.

Manual, em que o fotógrafo tem controlo total sobre a exposição, sendo este a escolher a abertura e o tempo de exposição mais apropriados.

Os dois primeiros modos permitem ainda influenciar a escolha que a máquina faz do outro valor, através da compensação de exposição.

Imagine-se que se está a tirar uma foto no modo de prioridade à abertura (A) e se escolhe a abertura de f8. Neste modo a máquina vai escolher automaticamente a velocidade de obturação, de maneira a captar adequadamente a imagem recebida pelo sensor, digamos 1/10 segundos. Se a foto ficar mais escura do que o pretendido, é possível aumentar a compensação de exposição em +1EV, por exemplo.

O que isto faz é dizer à máquina que se pretende que a exposição, no conjunto dos seus parâmetros, aumente um stop (ou seja, seja um stop mais clara). Então, a máquina vai manter o f8 anteriormente escolhido, alterando no entanto a velocidade de obturação (para 1/5 por exemplo) de modo a atingir a exposição pretendida.

A única maneira de perceber realmente o conceito é praticar. Os modos automáticos na máquina fazem um trabalho bastante razoável na escolha da exposição, mas apenas os modos A, S ou M permitem um controlo criativo da imagem que pretendemos.

Alguns links interessantes:

Wikipédia
Digital Photography School

Deixe um comentário

Filed under Almada, Conceitos