Monthly Archives: Março 2010

Museu do Oriente

A iluminação reduzida das várias salas deste museu obriga a fotografar com o ISO elevado, para evitar fotos tremidas, o que, sobretudo por ter usado uma máquina digital compacta, implica fotos com bastante ruído, visível mesmo nestas fotos de tamanho reduzido.

De qualquer modo acho que consegui dar uma ideia do que se pode encontrar no Museu do Oriente, que apresenta uma fabulosa colecção e cuja visita recomendo vivamente.

Deixe um comentário

Filed under Lisboa

Wallpaper de Abril

Esta foto pareceu-me uma boa escolha para um wallpaper. Tem um grande espaço negativo (a zona branca), sendo por isso ideal para quem tem muitos ícones no ambiente de trabalho.

Guardar

1 Comentário

Filed under Arquitectura, Paris, Pormenores, Wallpapers

Torre Eiffel

A Torre Eiffel é seguramente um dos monumentos mais fotografados do mundo, como tal diria que é impossível tirar uma foto original deste símbolo da cidade de Paris.

Tentei então algumas perspectivas minimamente diferentes da foto a cima. O objectivo foi sugerir a conhecida estrutura da torre, em vez de a mostrar directamente, com ângulos já mais que repetidos.

2 comentários

Filed under Arquitectura, Paris, Pormenores, Urbanismos

A Magia do Photoshop

O Photoshop é uma ferramenta espantosa, mas pelos vistos, na próxima versão, vai passar a fazer magia:

Deixe um comentário

Filed under Uncategorized

Panoramas Verticais

A criação de fotografia panorâmicas, através da colagem de várias imagens que formam uma muito maior, está geralmente ligada a fotos de paisagens. Não só por ser de longe a mais comum, como pelo facto de um panorama horizontal ser uma das suas aplicações mais óbvias.

Mas existem outros casos em que aplicação desta técnica pode ser vantajosa. A foto em baixo, por exemplo, é um panorama, embora não salte imediatamente à vista como tal.

Neste caso, mesmo utilizando a menor distância focal possível (18 mm), o máximo que conseguia captar era uma pequena porção do Panteão de Paris. A primeira foto que tirei (em baixo) não dá, de todo, a ideia da grandiosidade do edifício.

Uma vez que não tenho uma grande angular, a única hipótese foi mesmo fotografar, numa sequência vertical, as várias imagens pretendidas (5), juntando-as posteriormente num panorama.

1 Comentário

Filed under Análise Foto, Arquitectura, Paris

Bailinho da Madeira

Quando visitei o Funchal no Verão passado tive a sorte de apanhar, no Madeira Story Center, uma demonstração do Bailinho da Madeira, dança tradicional madeirense.

Para estas fotos decidi utilizar a minha lente zoom (55-250), por permitir captar os pormenores e momentos da actuação. A utilização de uma teleobjectiva, e o facto de o espaço ser parcialmente fechado, obrigou a que aumentasse o ISO para 800, de modo a conseguir evitar que as fotos ficassem tremidas. Por outro lado as velocidades relativamente baixas possibilitaram captar a sensação de movimento.

Deixe um comentário

Filed under Análise Foto, Eventos, Funchal, Tradição

Exposição Com Nevoeiro

Paisagens com grandes áreas claras, como paredes brancas, nuvens, neve ou nevoeiro, acabam frequentemente por enganar o sensor da máquina fotográfica, levando a que a fotografia fique subexposta. Facilmente se percebe olhando para as imagens abaixo que a primeira foto, tal como é nestes casos captada pela máquina, apresenta uma gama dinâmica reduzida, sendo o resultado uma fotografia com contraste reduzido.

Também através do histograma é possível identificar o problema. Um histograma correcto (na generalidade das situações) deve ocupar toda a largura do gráfico (direita), enquanto uma exposição deficiente se traduz num histograma com maior concentração de tons no centro do mesmo (esquerda).

Este é um problema bastaste comum mas de fácil resolução, bastando utilizar a opção de compensação de exposição (se não se estiver a utilizar o modo manual), que pode ir de 1/2 a 2 a 3 stops, conforme a severidade da subexposição e o efeito final pretendido. Em modo manual deve-se ajustar um dos valores, o tempo de exposição ou a abertura, de maneira a oferecer uma compensação idêntica.

A segunda fotografia apresenta já uma exposição mais correcta, sendo o resultado muito mais próximo da realidade.

Nota: A primeira imagem foi subsposta em photoshop a partir da segunda, para fins ilustrativos. É essa a razão de não apresentar os dados exif comparativos.

1 Comentário

Filed under Conceitos